terça-feira, 19 de abril de 2011

A um amigo suicida

Sua vida
foi como um livro ruim
desapontado
você pulou para o fim.

Flávio Soares

8 comentários:

Thiago Almeida disse...

Já está entre os meus favoritos... Muito bom!

Jorge de Barros disse...

Seus poemas curtos estão foda!

Tamara Queiroz disse...

Para alguns orientais o fim é o começo da leitura, não é mesmo?

Mikaele Ephemeron disse...

adorei, pequeno e objetivo. adoro...

Machado de Carlos disse...

O suicídio é assim mesmo, sem meio termo. Rápido. Não é aquele suicídio que vemos em filmes, fica aquele vai não vai e nunca chega ao fim.

Abraços!

Eliana disse...

Triste! Mas é assim mesmo, né?
Muito bom!!!

Francine Cruz disse...

Nossa! Adorei esse poema, ele nos dá um susto e ao mesmo tempo é belo. Parabéns e obrigada pela sua visita ao meu blog, quando o livro (Amor, Maybe) sair, eu te aviso!
Abraços.

Gustavo Paes disse...

Uma obra-prima!