quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Politicamente correto X verdadeiro

Triste existência de quem nunca fala
por ter um pensamento diferente
quem vive se omitindo, quem se cala
temendo confusão com algum ente.

Também é infeliz o que propala
as coisas que trafegam pela mente
o que todo diálogo avassala
mostrando a qualquer um como se sente.

Nesse dilema de ser ou não ser
na luta entre o agrada e o desagrada
não se pode evitar os arreliados.

Haverá sempre alguém para dizer:
"Fulano é desprezível! Vale nada!"
No fim, terminam todos como errados.

Flávio Soares

11 comentários:

Mikaele Ephemeron disse...

vc é um ótimoe scritor, já sou sua fã

Sérgio Filho disse...

O pensar hoje em dia além de raro é algo discriminado, mundo insano.

Aquele abraço Flávio!

George Toscano disse...

Totalmente verdade esse texto! mt bom mesmo.
seguindo.

Lidiane Santana disse...

Belo dilema em forma de soneto!

Juci Barros disse...

Verdade rsrs.
Beijos.

Mariana disse...

"No fim, terminam todos como errados."

Infelizmente, me encaixo na primeira descrição. Acabo sempre por me calar por medo de ser discriminada e sou discriminada por me calar. Irônico.

Ótimo blog.

Fábio Hasst disse...

Muito bom o texto, parabéns, e obrigado pela visita.

Fran disse...

Acabou de ganhar uma leitora! Adorei seu blog!!!
E obrigada por ter comentado o meu!
Fran.

Rafael de Sá Guimarães disse...

Maravilha. Ninguém está certo, mesmo. Cada está certo por sua própria cabeça e, todos estão errados.

Thiago Almeida disse...

Vivemos baseados em um erro grave, quando discursamos aos quatro cantos e de forma vã, não nos importar com as opiniões alheias e, também, dizer aos montes que a verdade deve ser sempre dita.

Isso é uma grande falácia!

Temos que agradar, pois queremos ser agradados. Com sinceridade ou não.

Há momentos que o discurso "Sou mais eu, pois sou verdadeiro", soa como algo mais falso do que dizer o contrário.
Infelizmente (ou felizmente) o ser humano é um ser moldável, podendo se adaptar aos mais diversos ambientes. Travamos guerras que, só no final da vida iremos perceber que não valeu à pena, que perdemos anos preciosos com algo que só a gente enxergava... Como dramas da esquizofrenia.
Isso quando enxergamos, mas muitos morrem naquela podre e pobre ideologia do "mundo menor".

Eu quero é mais!

Seu texto é épico. Reflexivo e consistente.
Meus parabéns, Flávio!

Tamara Queiroz disse...

E uma meia dose? É estarmos quase certos? Ou nem nem outro é estarmos neutro? Aquém?

Mmm... mas eu tenho a certeza da grandeza deste post.

B-joletas