domingo, 16 de agosto de 2009

Um final melancólico

Recordo quando tu me perguntava
por qual razão me embriagava tanto
não parecia, mas eu derramava
internamente doloroso pranto.
"A vida é triste", era o que te falava
tu me acalmava com suave encanto
por um momento a morbidez cessava
pra me cobrir mais tarde com seu manto.


Ah! Quantos choques sofremos na vida
por não podermos prever o futuro
jamais sonhei com lúgubre partida
logo você, de pensamento puro
toda vez que me achava alcoolizado
a reclamar de uma existência vã
detestava me ver naquele estado
porém bebeu em péssima manhã
um cálice de vinho envenenado.

Flávio Soares

3 comentários:

Betella disse...

excelente.

Thiago Almeida disse...

Fala Flavio!

Gostei muito deste seu post.

Você escreve, irritantemente, bem! rs...


Meus parabéns, cara!

Poetíssima disse...

Gosto do teu espaço..
teus textos..!
Radicalmente, gostei!